Arquivo | comportamento RSS feed for this section

Meu, Seu, Nosso!

17 mar

Como lidar com a questão do dinheiro na vida a dois?

É gente, questão delicada de tocar, mas é muito melhor lidar com ela logo de cara do que ficar se queixando depois que as coisas não estão indo tão bem em relação a divisão das contas, dívidas, financiamento da casa, diferenças nos planos de investir, poupar, gastar…
Cada um de nós desenvolveu um modo de lidar com dinheiro. Uns gostam de poupar, outros não fazem a menor questão, uns não ligam para o dinheiro, já outros contam moedinhas e exigem seu troco mesmo que seja de 1 centavo, enfim, quando a gente cresce e começa a realmente ganhar dinheiro, já começamos também a demonstrar a forma como lidamos com ele individualmente, mas tudo muda quando passamos a viver a dois. Será?

Quando nos casamos, precisamos entender direitinho como vamos lidar com a questão: O que é meu, o que é seu ou ainda, o que é nosso.
E não tem outro remédio para isso do que o diálogo. Principalmente se o estilo de cada um for completamente diferente ao lidar com as finanças. Imaginem a dor de cabeça (principalmente a longo prazo) que pode gerar entre um casal em que  um faz o estilo ‘gastador’ e o outro o ‘mão de vaca’ ? Decisões simples do dia a dia como comprar um chuveiro mais caro ou um modelo simples podem se tornar o princípio de uma guerra doméstica, imaginem questões relevantes como a compra da casa dos sonhos ou até de abrir um próprio negócio? Duvida? Pode perguntar para casais que vivem juntos ha algum tempo se a questão do dinheiro não é delicada…Certamente você ouvirá um xiiiiiiiii….
E não adianta dizer que não sabia que ele (ou ela) era assim, pois mesmo na fase do namoro a gente consegue identificar direitinho qual o estilo pessoal do outro lidar com o dinheiro. Você pode observar o comportamento desde a hora das ‘vaquinhas’ para fazer uma festa, até as escolhas como roupas, lugares que frequenta, passeios que já fez…E não estou falando aqui de posses ou nível social não…Estou falando de organização financeira, do modo como você ou o outro lida com o dinheiro no dia de hoje e como pensa nele em relação ao futuro, previdência, investimentos, dívidas, e muitas outras coisas chatas, mas imprescindíveis para que sua vida financeira seja tão bem-sucedida quanto a amorosa (afinal, se vocês se casaram ou vão se casar, esta última parte pelo menos esta ok né?).
A dois é muito mais fácil ir mais longe. O esforço é dobrado, a força de vontade também, e com isso, certamente, vocês conseguirão alcançar tudo o que desejam com muito mais facilidade do que se tentassem sozinhos. Basta querer, dialogar e agir! Tracem os planos do casal, e também os planos individuais (se você quer fazer um curso de artesanato, tem que entender que ele possa querer pagar mais num joguinho de vídeo game que você acha totalmente indispensável…e vice-versa…rs).
Depois que traçarem os planos, estabeleçam prioridades e objetivos de tempo para alcança-los, e passem de comum acordo, a destinar parte do que ganham para alcançar este objetivo, sem esquecer da economia doméstica, afinal, água e luz, comida e demais gastos da casa são despesas que terão sempre.
Difícil? É sim, principalmente se não houver disciplina, mas não tanto, eu garanto.
E se me permitem dar um conselho de como lidar com esta questão na vida a dois, eu recomendo que experimente a partilha igualitária das despesas da casa. Depois, da contribuição também igualitária para os planos em comum que vocês traçaram (a casa própria por exemplo), e por último, verificar se isto permitirá que cada um tenha a sua independência financeira, afinal, alguém ficar palpitando porque você comprou mais um sapato é um saco não é? Se um ganhar mais do que o outro, basta que façam a divisão de modo proporcional, e que tenham certeza que ambas as partes estão confortáveis com isso. Assim, vocês já começam a vida organizados e com independência também.

Bem, há muito, mas muito mais para se falar sobre este assunto, tanto que existem programas, apostilas, cursos e diversos especialistas estudando este tema, que é gerador de conflitos para muitos casais, mas o intuito aqui hoje é trazer o assunto à tona para que você começa a pensar, como casal, nas atitudes que transformarão o ‘seu’ e o ‘meu’ em um próspero ‘Nosso’.

Espero que seja útil, se se gostou, deixe um recadinho aqui  =)

Resuminho para facilitar…
1- Defina planos (a curto e a longo prazo) que sejam comuns ao casal (como a compra da casa própria);
2- Depois, tracem os planos individuais que cada um deseja alcançar;
3- Definam as prioridades e estabeleçam prazos para que os planos se cumpram;
4-  Decidam como cada um irá contribuir de forma que no mês, consigam manter a independência financeira, para a saúde do próprio relacionamento;
5- E sempre faça ‘ajustes’ no que foi combinado, afinal, imprevistos como a perda do emprego ou uma doença podem surgir e vocês precisarão se adaptar.

Mudar para melhor

6 fev

Sábado a tarde, depois de cumprir diversas tarefas do dia,era chegada a hora de descansar. Comecei a ler algumas revistas há muitoesquecidas num canto da sala, e me deparo com uma matéria que tocava bem noassunto que me angustia há algum tempo: a falta de tempo.

O texto trazia a historia de leitores que se sentiamsufocados, que tinham a sensação de não dar mais conta de nada, de estarperdendo as novidades por não conseguir acompanhar tudo nas redes sociais e outras fontes de notícias, de viverem duas vidas: a real e a virtual.
Falavam também que psicólogos já se preparam para tratarpessoas com a síndrome do “Tudo agora e ao mesmo tempo”. Parece bem moderninhoe cool ser assim, mas na prática, pode te deixar angustiado e perdido, e emmuitos casos, doente.
A matéria (e um trecho do post da Melina que li semanapassada) parecem que caíram como uma luva para mim, que me peguei angustiadapor não estar com a leitura em dia, com meus projetos profissionais no prazo, ecom um atraso enorme nas postagens do blog e respostas a emails que recebo (enorme na minha cabeça).
Lendosobre o assunto, paro para pensar e tento me convencer de que não é porqueoutros conseguem criar posts diariamente, e passam o dia todo curtindo ecomentando coisas legais alheias, que eu deva ser e fazer igual. É claro queisto representa mais interação com o publico e exposição para o blog, mais seguidores, mais comentários… Eu sei! E adoraria mesmo fazer isso também, mas tenho que aprender a ficar com o essencial, como que realmente vai me trazer alegria, e não angustia. 
É por isso que você não verá postagens frenéticas aqui…Masem contrapartida, tudo o que vier a ler, será de qualidade, pensando e criadocom muito carinho e dedicação, e sem nenhuma dose de estresse e agonia de quemos escreve…rs
O mesmo vale para as mensagens e emails. Se você me enviouum e ainda não recebeu resposta, pode acreditar que não é má vontade não, de formaalguma. É falta de tempo, correria, e que assim que possível, você vai receber umretorno meu com a resposta à sua pergunta, indicação, um feedback, um convite…
Então é isto gente, definindo prioridades e lidando com ofato de que meu dia não tem mais do que 24 horas é que pretendo fazer doe-Noivas um blog melhor.
Espero que repensem também suarelação com o tempo, e se durante o seu momento de navegar na net, vocêescolher vir aqui, vou ficar imensamente feliz! Estarei de braços (e blog) abertos pra gente falardo que mais gosta: casamentos!!!
Ah, mudanças e novidades no blog também estão por vir, e estou trabalhando neste projeto no momento, mas com toda calma e sem nenhuma pressa =)
ps: pra quem ficou curiosa, amatéria que estava lendo foi da edição de Dez/Jan 2012 da Revista Sorria

Nunca diga a uma noiva…

7 dez

Recentemente, presenciei um comentário para uma noiva, as vésperas do casamento dela, e me deu uma vontadeenorme de perguntar se a pessoa não tinha outra coisa para fazer do queimportunar a noiva com comentários negativos e sem propósito…
Acho que todanoiva sabe bem o que é isto não é mesmo?

Infelizmente, em todo lugar (família,entre amigos, colegas de trabalho) haverá sempre uma pessoa que não sabe a horacerta de ficar calada, ou que não sabe ponderar suas opiniões pensando em comoaquilo pode magoar alguém, ainda mais na fase dos preparativos ou as vésperas do casamento, em que ficamos com as emoções a ‘flor da pele’.
Se conselho fosse bom, eu já estariarica vendendo-os aqui no blog né? Mas acho que esta listinha pode vir a salvarmuitas noivas de ouvirem comentários ordinários sobre o casamento e a vida a dois…
Nunca diga a uma noiva:

Que ela irá engordar quando casar. Que estecorpinho lindo logo será modificado pela maternidade e que ai sim ela vai vercomo é difícil manter a forma. Quando eu ouvia algo assim (e ainda ouço) eu costumo responder: É, ouvi dizer que felicidade engorda…hahaha

Que você acha que ela esta gastandomuito no casamento, no chá de panela, no vestido, nas lembrancinhas, que isso é bobagem. Cada um sabe das suas finanças, e você nãoprecisa criticar mesmo que considere algo ‘bobagem’.
Os perrengues que você passou,principalmente as vésperas do casamento. Não é porque você teve uma experiênciaruim, que não saiu como você esperava,  quevocê deve ‘alertar’  todas as noivas sobretudo que pode dar errado. Não ajuda em nada e só deixa a pessoa mais nervosaainda.


Para escolher isto ou aquilo. Se ela precisar, vai pedir suas indicações e dicas, e faça exatamente isto: indique. Não fique comparando, dizendo que as suas escolhas foram as melhores ou ainda comentando que se ela não contratar fulano de tal não vai dar certo. Nem tudo que deu certo para você, necessariamente vai ser bom para ela.
Que você não esta gostando de algo da festa, da cerimonia, etc. Nunca faça isso a uma noiva no dia do seu casamento, poupe-a de problemas, briguinhas, comentários negativos. Não esta bem com algo que aconteceu? Vá para casa, mas nunca vá até a noiva reclamar (aconteceu comigo isso e achei o ó).

Para que ela tome cuidado com adespedida de solteiro do noivo. Minha filha: se você acha que ela não sabe comquem esta se casando, melhor dar um jeito de impedir a união de uma vez. O que umapessoa ganha ao tentar fazer a noiva ficar desconfiada da fidelidade do noivo? Oportunidade para trair se tem todo dia, e não é oportunidade exclusiva da despedida de solteiro não é?


Que ela é muito nova para casar, que precisam aproveitar melhor a vida antes de se amarrar (nossa! como eu ouvi esta…). Aqui o caso é sério. Casamos por amor, pela convicção de que somos abençoadas por encontrar uma pessoa que nos ame do jeito que somos e queremos partilhar a vida com esta pessoa! As pessoas realmente acham que ‘ficar’ com outros (e vários) caras é que é aproveitar a vida?

Que ela precisa emagrecer (ou engordar)para entrar no vestido. Se há alguém que sabe exatamente como esta a sua formafísica, este alguém somos nós mesmos. Não é preciso que alguém nos lembre deemagrecer ou de engordar para ficar de um modo que agrade aos olhos dasociedade. Tem que agradar a si mesma, priorize sempre sua saúde, sua felicidade.
Que se não der certo, qualquer coisa,ela se separa! Meus Deus, nada de pessimismo. Ninguém que esta se casando por amor, se casa pensando que tem a alternativa do divórcio (aliás, se pensarassim, é melhor não se casar viu?).


Para tomar cuidado para não enjoar do marido, não deixar cair na rotina…Se alguém tem a fórmula da felicidade da vida a dois posta aqui agora =)


Que viu na previsão do tempo que vai chover. Será que ela já não sabe? Não precisa deixá-la triste com este comentário?


Que você queria ser convidada para ser madrinha. Não jogue indiretas. Se ficou chateada imaginando que você seria escolhida, e não foi, e achar que realmente vale a pena comentar, seja franca e a chame para uma conversa. Mas nunca se autoconvide para nada,  é deselegante e deixa a pessoa numa situação complicada.


Que você queria ser convidada para o casamento. Nossa, essa eu nem preciso comentar né? 


Que você precisa de mais um convitinho para a festa. Esta coisa de lista de convidados é uma das partes mais estressantes para quem esta se casando, porque tudo  é calculado e pago em cima do numero de convidados. Entenda que se ela entregou um convite a você, com um numero limitado de ‘convitinhos’ é porque ela realmente só pode disponibilizar estes. Casar traz muitas despesas, seja compreensiva e não exija isto dos noivos.

Quando é que ela planeja ter um bebê. Gente, mal casamos e o povo já quer saber quando teremos filhos? A sociedade não tem outra pergunta para fazer aos recém-casados não?


Acho que esta listinha não teria fim tamanha é a falta de noção de algumas pessoas, e sei que o assunto do post não é dos mais agradáveis, mas, algumas coisas precisam ser ditas.

Para as leitoras queridas: Caso ouça algum comentário assim, tente não se abalar, sei que é difícil aguentar certos comentários, mas lembre-se sempre de que há pessoas que não sabem tecer um elogio, que preferem criticar, e que infelizmente, isto não muda de uma hora para outra. Então, o melhor a fazer é respirar fundo e sair de perto desta pessoa. Vamos tentar encarar tudo com bom humor senão a gente fica louca…rsrs

Comente!
E ser tiver mais uma dica do que não se dizer a uma noiva, escreva aqui pra gente!
Vamos fazer deste um post coletivo de utilidade pública =)

Experimente ser você

12 set

Dentro de um táxi, a caminho do centro de Belo Horizonte, vejo esta frase em um outdoor: Experimente ser você. Coincidentemente, estava pensando nas escolhas que eu faria para o ensaio fotográfico, e como geralmente as inspirações acontecem, num segundo eu já sabia o que escrever no post de hoje.
Inspirações para o casamento não nos faltam, aliás, este blog mesmo é a prova disto, pois reúne tantas informações sobre casamentos reais, ensaios, vestidos e tudo mais sobre casamento com este objetivo: proporcionar a você inspirações, idéias e referencias para que possa realizar o seu grande dia de modo especial, único, à sua maneira.
Mas, como saber se estamos sendo influenciadas ou se as escolhas são realmente desejos nossos? Já pararam pra pensar em como tornou-se comum nos últimos tempos os noivos irem para Paris em lua de mel ou como tem gente vangloriando um mini wedding? Nada de errado com isso, acho as duas opções maravilhosas, mas quando ouço algumas pessoas comentando sobre o assunto, me parece que se você não for pra Europa em lua de mel ou fizer um casamento pra 500 pessoas você esta totalmente fora dos padrões perfeitos de um casamento chique, cool, digno de ser mostrado pelas mais badaladas revistas, site ou blogs de casamento. Bobagem.
Posso até estar equivocada em relação a isso  (e espero mesmo estar), mas como uma autentica noiva com recursos (bem) limitados, passei por todo o processo de pesquisas, comparações, prioridades e sei como é difícil para nós o peso das escolhas. Além de muitas opções, tem o orçamento que tem que dar conta de tudo, e sabemos que deixar o seu casamento super personalizado sempre terá um custo, nem que seja o custo do seu tempo que as vésperas do casamento vai ficando cada vez mais raro, e não podemos esquecer que não casamos sozinhas, temos que considerar e conciliar os desejos do noivo também (mesmo que ele não comente muito, ele tem as preferencias dele que podem ser bem diferentes das suas…), além das expectativas de muitas outras pessoas que inevitavelmente estão envolvidas no casamento, e que você pode optar por dar ouvidos (ou não) a opinião dessas pessoas (quem não vai hesitar se a mãe comentar que não gostou do vestido que você escolheu?).
Para casar-se hoje em dia, existem inúmeras possibilidades, e sem pretensão nenhuma de dar conselhos, só quero passar a mensagem da autenticidade: se você vai usar um esmalte colorido ao invés do tradicional branquinho nas unhas, que seja porque você quer, e não porque é moda hoje em dia. E se o seu destino de lua-de-mel for a praia mais próxima da sua casa e não Toscana, ok também! O que vale é amor, a vontade de ficar junto, a realização do sonho de casar-se com o alguém que você ama com todo coração.
Prepare-se para casar, e não para impressionar

Saiba Negociar

23 fev

Quando a gente resolve se casar, mesmo sem querer, começa a colocar em prática habilidades que nem imaginamos ter. A negociação é uma delas. Não há período melhor para praticar esta habilidade do que durante a organização de um casamento. Muitas pessoas, após uma maratona de orçamentos, visitas a fornecedores e muita técnica comercial, se descobrem verdadeiras organizadoras de eventos, e a experiência se torna profissão.
Você resolve se casar, então percebe que você tem um limite de orçamento, um evento repleto de detalhes, diversos fornecedores dos mais variados tipos e um tempo definido para resolver tudo isso. Pronto: esta montado todo o cenário para você praticar as suas habilidades comerciais.
Além do tradicional conselho de pesquisar (e muito!), é importante comentarmos sobre como devemos negociar itens tão importantes para a realização do casamento.

COMPARE
Seja qual for o tipo de serviço ou produto que queira adquirir, é essencial ter mais de um orçamento para que você possa comparar os preços praticados no mercado no ano do seu casamento e tenha poder de argumentação. Mas é importante comparar de maneira igualitária (ou mais próximo disso possível). Por exemplo: nada de pedir um orçamento para uma decoração repleta de orquídeas para um decorador, e então comparar o preço com o orçamento de outra empresa onde você pediu gérberas. São flores lindas, mas de diferentes categorias, logo, você não pode comparar os orçamentos. O mesmo vale para bandas, buffets, espaços, etc.

EXPONHA A REALIDADE
Ao negociar grandes itens, como buffet, decoração e fotografia por exemplo, os fornecedores acabam perguntando quanto você poderia dispor para este serviço. Seja franca, exponha suas possibilidades e dificuldades, formas de pagamento, mas nada de mentir sobre algum aspecto na hora de compor o orçamento. Quando a empresa é idonêa, no momento da cotação ela questiona o valor aproximado para ter uma noção do que ela poderá fazer e oferecer de modo a atender suas expectativas, e não para se aproveitar de todo o seu dinheiro. É importante ser clara e dizer do que você e seu noivo fazem ou não fazem questão, assim a proposta será a mais adequada ao estilo e orçamento de vocês.

TODO CUIDADO É POUCO
Infelizmente, muitos fornecedores do ramo se aproveitam do momento especial, do sonho, e apelam para o lado emocional para tentar vender seus produtos ou serviços. Não caia nessa! Fique atenta a este tipo de manipulação e se perceber, agradeça e procure outra empresa.

TENHA HUMILDADE
Um erro muito grave que cometemos (sim, eu confesso, cometi esse erro) é a falta de humildade, de clareza da sua real situação. Se o casamento dos seus sonhos custará 3x mais do que você pode pagar,  tenha a humildade e sabedoria de entender que naquele momento isto não possível.
É constrangedor para você e para um fornecedor realizar uma negociação onde o cliente não entende que certos itens tem um preço, e que o fornecedor ao trabalhar, precisa lucrar com isso, do contrário, não poderá realizar o serviço. Além do desgaste que isto tratá para ambas as partes, a empresa poderá fazer um ‘precinho’ especial, porém, não poderá entregar tudo aquilo que você imagina ser possível. Daí vem a frustação e o arrependimento.
Ter os pés no chão e saber ponderar é essencial para que você garanta preços justos e serviços de qualidade.
Eu mesma queria muitas coisas que não podia pagar,e tentei negociar com algumas empresas para que elas se adaptassem ao meu orçamento, porém, isto não aconteceu, e hoje vejo que foi melhor assim, pois certamente eu não teria o resultado sonhado.

CUIDADO COM OS MODELOS PERFEITOS
A sua prima realizou um casamento enorme, lindo, cheio de detalhes e faz questão de dizer que tudo não custou muito. Então você foi vai lá e pega o nome de cada fornecedor para conseguir as mesmas condições que sua prima e briga com cada um para que eles no mínimo façam um preço igual…Nada disso. Tome cuidado com este tipo de comparação. Cada evento tem suas particularidades, e o que foi ótimo para ela, pode não servir para você. Um preço praticado para uma prima ou conhecido pode não ser o mesmo para você e vou explicar por que: o ano do casamento pode outro, os preços podem terem sido modificados (inflação, ajustes de preço, etc) o fornecedor pode ter aumentado sua estrutura e capacidade e por isso esta com um preço maior, o numero de pessoas do casamento influencia diretamente em certas negociações (quantidade de mesas decoradas, quantidade de bebidas e comida, numero de lembracinhas, etc). Esteja ciente das diferenças e ai sim utilize argumentos concretos para negociar (por exemplo: aumento de 25% em relação ao preço do ano passado pode ser abusivo, tente entender o porque) e negocie!

Bem, sei que o assunto é extenso e complicado, mas tenho certeza que certamente vai ajudar muitas noivas que estão com o orçamento apertado e com mil itens ainda para negociar.
Se precisar, peça ajuda! É ótimo envolver as pessoas no seu casamento, pois além do apoio, os amigos podem dispor de contatos que talvez você não conheça não é mesmo?

Então, aproveite e ponha em prática seu poder de negociação! 
E se tiver bons resultados, conte pra gente, vamos adorar saber de mais dicas.

Minha decisão

29 jun

Sabe aquele papo rápido que de vez em quando a gente tem com uma amiga, que dá vontade de sentar com calma e continuar a boa conversa?
Mas infelizmente, a correria é tanta que nem sempre isso é possível não é? Mesmo que o assunto seja muito importante. Aconteceu comigo ontem, assim, rapidinho, na saída da aula, mas um assunto tão importante que merecia horas de conversa…
Bom, dessa conversa eu lembrei de uma coisa que aconteceu comigo.
Quando decidi me casar, eu tinha 23 anos (tá hj tenho 25..rs). Por incrível que pareça, eu ouvi (e não foi poucas vezes) que eu estava louca, que iria cometer um erro, que eu era muito nova, que tinha que namorar outros rapazes antes de me amarrar, etc, etc. Estas opiniões vinham principalmente do ambiente profissional, onde o legal é voce ser uma mulher graduada (de preferencia numa instuição bem famosa), independente, bem resolvida, uma mulher de negócios.
Ok, ótimo uma mulher nos dias de hj ser tudo isso, mas o que há de errado em priorizar o amor?
Um dia eu me cansei de ouvir aquilo, e repliquei até meio sem perceber: Sabe, eu fico escutando essas coisas, e acho que vou acabar me convencendo de que a pessoa encontrar o seu grande amor, e apostar tudo nisto, seja mesmo uma loucura. Eu sempre achei tão dificil se apaixonar de verdade, encontrar alguem que te respeite, que te entende, que te completa…Nossa isso é tão raro, que eu achei que tivesse muita sorte, mas acho que estou errada não?
Silêncio…

Nunca mais escutei os tais comentarios, pelo menos, não daquelas pessoas…

Certa ou errada, só o tempo vai me dizer…Mas eu seria louca de não investir tudo naquilo que eu sempre acreditei, no amor. E dinheiro, queridos, a gente corre atrás! ♥

E com vocês, alguma história semelhante?